domingo, 30 de setembro de 2012

#15%


domingo, 23 de setembro de 2012

Keep Calm e Camaro amarelo.


   



     Bom dia pessoal,  estou no interior de um estado na região norte. Pude perceber mais ainda a força desse sertanejo universitário como estio de viver. Fiquei pensando "porque de verdade eu não sei" se teve um dedo de planejamento na inserção dessas marcas : Chevrolet - Camarelo Amarelo, Land Rover e etc. E a Fiat? Não poderia aproveitar para lançar uma edição do Fiorino ?


Fato é que essas músicas geram uma relação muito forte,passageira, mas muito forte com o público jovem.

E  isso é bom arnaldo ?

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Tirando a poeira daqui.



                Hoje vivemos no verdadeiro turbilhão de informações. São marcas, hits, pop-ups e etc. É muita informação! No meio de tudo isso vem às marcas que não são mais um rostinho bonito na prateleira ou na seção de sapatos. Agora  as marcas estão presente no seu e no meu dia a dia. É preciso fazer check-in na rede social para  mostrar que sou “moderno” é preciso fazer o check-out na lixeira da reciclagem porque também sou “ECO”.  A verdade é que mais do que marcas e rótulos é preciso não só estar presente, mas ao lado do consumidor. Conhecê-lo e saber suas aptidões. Em que tribo ele está inserido e qual linguagem utilizada.

                O planejamento não é só mais uma ferramenta para produzir um plano de ação ou potencializar a verba do cliente em ação especifica. Planejar é escutar muito antes de qualquer coisa. É passar horas no ponto de venda observando o consumidor e entender que ele quer mesmo que nem o próprio cliente saiba.

                Por isso não só ter um bom planner que entenda de planejamento é preciso de uma pessoa que goste de gente e que tenha curiosidade para pesquisar e aprender sobre o cliente  do nosso cliente.